/* */

Cafeína para queda de cabelo funciona? Trata calvície?

Certamente você já reparou que “passar” um cafézinho é um costume bem brasileiro, né?

Pela manhã, após o almoço ou, até mesmo, durante à noite, o consumo dessa bebida é, de fato, um hábito que transcende as fronteiras municipais e regionais.

Isso porque, independentemente de onde você nasceu, o café fez e faz parte do seu dia a dia.

Além de ser um ingrediente bem perfumado e saboroso, o fruto do cafeeiro apresenta efeitos potentes que proporcionam benefícios bem importantes à saúde do nosso organismo.

Algumas destas vantagens correspondem ao fortalecimento do sistema imunológico bem como o combate de doenças cardíacas.

Entretanto, você sabia que, recentemente, a cafeína, uma substância presente no café, foi objeto de estudo à prevenção da calvície?

Mas será que, de fato, a cafeína para queda de cabelo funciona? Se sim, de que forma? Há outras formas de tratar a calvície?

Caso queira, é fácil saber mais sobre o assunto: basta acompanhar a leitura conosco. Vamos?

Para que serve a cafeína?

A cafeína é uma substância química que está, naturalmente, presente no café.

Tal elemento é pertencente ao grupo das xantinas, sendo que estes atuam como estimulantes, mas não se restringe somente ao fruto do cafeeiro já que pode ser encontrada no guaraná e no cacau.

Diante disso, o café é, para muitas pessoas, uma bebida que dá mais energia, aumenta a concentração e o estado de alerta.

No entanto, para outras, especialmente quando consumido em excesso, proporciona aumento da ansiedade.

Esse feito não anula os benefícios conhecidos da cafeína e, consequentemente do café.

Como a substância é fitoquímica, a cafeína estimula a produção de hormônios ligados diretamente à sensação de bem-estar e prazer.

Ademais, a cafeína também pode contribuir na prevenção de determinados tipos de câncer bem como na precaução de doenças neurodegenerativas como o Mal de Parkinson.

Para além disso, a cafeína também tem sido análise de estudo quando o assunto é calvície.

Cafeína para queda de cabelo funciona?

Funciona. Bom, isso é o que garante um estudo publicado no British Journal of Dermatology que analisou os efeitos da cafeína na saúde do folículo capilar.

Para isso, como usar cafeína no cabelo deve estar relacionada à aplicação direta no couro cabeludo já que seriam necessárias mais de quarentas xícaras de café para sentir os benefícios da cafeína no cabelo o que, obviamente, faz mal ao organismo humano.

Sabendo disso, a pesquisadora brasileira, nossa conterrânea, Jackeline Alecrim, idealizou e desenvolveu um shampoo com cafeína para calvície.

Isso porque tal substância atua como estimulante e, com isso, promove uma melhor circulação sanguínea e nutrição do folículo capilar.

Dessa maneira, a cafeína para cabelo pode ajudar a minimizar a alopecia androgenética nas regiões em que os fios ainda apresentam vida.

Falando nela, como, de fato, surge a calvície?

Calvície masculina: como surge?

O termo calvície é popularmente utilizado para nomear a alopecia androgenética.

Esta, por sua vez, é uma condição que, apesar de ser mais associada aos homens na faixa dos 40 anos, pode acometer mulheres e pessoas mais jovens, especialmente do gênero masculino.

Isso porque a calvície acontece devido à ação da testosterona. Então, embora esteja presente nas mulheres, o hormônio apresenta maior quantidade no organismo masculino.

Dessa maneira, a alopecia androgenética é mais frequente em homens do que em mulheres. Independentemente do gênero, a condição surge da mesma forma e da seguinte maneira:

Em nosso couro cabeludo, a testosterona sofre a ação de uma enzima chamada 5-alfa-redutase.

Ao passar por essa atividade, o hormônio andrógeno é convertido em di-hidrotestosterona que é, também, um hormônio conhecido, principalmente, pela sigla DHT.

Durante essa transformação, os fios passam por um processo chamado de miniaturização que corresponde ao afinamento, clareamento e encurtamento dos fios de cabelo.

Após passarem por isso, esses fios não conseguem mais nascer e, dessa maneira, a calvície surge.

Atualmente, já existem métodos específicos e testados dermatologicamente para tratar a alopecia androgenética fazendo com que os fios de cabelo nasçam novamente.

Uma das estratégias mais utilizadas é o uso de Minoxidil.

Minoxidil para queda de cabelo (calvície)

Minoxidil é uma solução disponível em duas concentrações: 2% e 5%. Ambas são recomendadas para tratar e prevenir casos de queda de cabelo associada à alopecia androgenética.

Isso porque o Minoxidil é uma substância ativa que age como estimulante.

Dessa maneira, ela faz com que aumente o calibre dos vasos sanguíneos o que, consequentemente, melhora a circulação sanguínea na região e prolonga a fase de nascimento e crescimento dos fios.

Como, atualmente, existem muitas marcas de Minoxidil disponíveis para a compra, é fundamental saber qual a melhor para o seu caso de calvície.

Para isso, a melhor e principal alternativa é procurar acompanhamento e orientação médica de um dermatologista.

Onde comprar Minoxidil?

É sempre bom comprar um produto em uma loja cujo atendimento é bom e os artigos de qualidade, né? Se está procurando um lugar desse, então, o Bar Men’s é o local ideal.

Lá, existem as mais variadas marcas de Minoxidil que, certamente, te ajudarão no processo de crescimento capilar.

 

Minoxidil com cafeína funciona?

Agora que já sabe os benefícios da cafeína para cabelo e o Minoxidil para a calvície, você pode estar se questionando se misturar Minoxidil com cafeína garante resultados positivos e satisfatórios.

Bom, na teoria, ambas as substâncias contribuem para a circulação sanguínea na região do couro cabeludo.

Sendo assim, tanto o Minoxidil quanto a cafeína para cabelo promovem o estímulo ao crescimento capilar.

Aliás, por conta disso, atualmente, já existem várias soluções que contém Minoxidil com cafeína.

Caso queira, pode experimentar, mas, claro que, antes é fundamental ter aval médico. Portanto, procure um profissional da área!

E aí, gostou do nosso artigo?

Já conhecia sobre os feitos da cafeína para cabelo?

 

Fontes: [1] [2]

 

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *