/* */

Tricotilomania: como parar de “puxar” a barba?

Podemos reparar que, de uns anos para cá, a parcela da população que sofre com transtornos mentais cresceu – e muito!

Não é à toa que, atualmente, a ansiedade é considerada o mau do século.

Isso, obviamente, decorre de muitos fatores e a pandemia de coronavírus só intensificou o aumento dos casos.

Sabemos que a ansiedade a depressão são os transtornos mais falados, mas, precisamos abordar sobre outros problemas para dar visibilidade à eles.

Assim, muitas pessoas poderão saber o que, de fato, são e procurar tratamento.

Além disso, disseminar informação sobre um transtorno mental faz com que a nossa sociedade seja mais inclusiva e não estigmatize mais esse problema.

Um deles, por exemplo, é a tricotilomania. Esse transtorno acomete, de acordo com alguns dados, entre 1% e 2% da população.

Sabemos, entretanto, que muita gente não sabe do que se trata.

Por isso, hoje, decidimos explorar mais sobre esse assunto: será que a tricotilomania tem cura? Como tratar esse problema?

Então, vamos juntos conhecer mais um pouco sobre esse transtorno?

Tricotilomania: o que é?

Você já ouviu a frase “é de se arrancar os cabelos”? Provavelmente, né?

As pessoas a falam quando estão passando por uma situação complicada e estressante que as fazem entrar em um estado de agonia intensa e profunda.

No entanto, apesar de muitas pessoas não terem conhecimento sobre, esse termo foi inspirado na tricotilomania (TTM).

Este, por sua vez, é um transtorno que se caracteriza pelo impulso frequente e incontrolável de arrancar tufos de cabelo ou fios do couro cabeludo.

Além disso, algumas pessoas com essa desordem comportamental também sentem prazer ao puxar e arrancar as sobrancelhas e cílios bem como pelos de outras regiões do corpo, como braços, pernas, tórax, púbis e barba masculina.

Isso faz com que desenvolva um quadro de falha capilar na área em que o pelo foi arrancado.

A ação de puxar os fios, normalmente, é feita de forma automática. Sendo assim, a pessoa não se dá conta do que, de fato, está fazendo.

Em algumas pessoas, o transtorno da tricotilomania é acompanhado da tricofagia.

Esse distúrbio, por sua vez, caracteriza-se pelo hábito de engolir os fios de cabelo que foram arrancados.

Nesse caso, a situação pode ficar ainda pior, pois nosso estomago não consegue digerir queratina, presente nos fios, e os pelos se acumulam no sistema digestório.

Isso pode levar a quadros ainda piores, como o óbito, visto que bloqueia o transito gastrointestinal do organismo.

Causas da tricotilomania

Ainda não se sabe as reais causas da tricotilomania.

Os profissionais de saúde compreendem que esse transtorno é psiquiátrico e, por isso, seja multifatorial.

Isso significa que vários fatores, como genética, neurobiológica e comportamental, podem ser determinantes para o aparecimento desse quadro.

Além do mais, a tricotilomania causa problemas na autoestima já que podem deixar falhas evidentes nos pelos do corpo e/ou do couro cabeludo e pode estar associada a outros transtornos psicológicos como:

  • Depressão
  • Ansiedade generalizada (TAG)
  • Controle do impulso
  • Obsessivo compulsivo (TOC)

Diante disso, procurar tratamento para tricotilomania é muito importante.

É importante ressaltar que quanto mais cedo for a busca por ajuda profissional, há mais chances de reverter os quadros com facilidade.

Tratamento para tricotilomania

O problema de arrancar os pelos e os cabelos tem origem multifatorial, como falamos anteriormente.

Dessa maneira, o tratamento para tricotilomania consiste, geralmente, em uma equipe multidisciplinar.

Isso significa que profissionais de diferentes especialidades estão envolvidos, sendo estes:

  • Psicólogos
  • Psiquiatras
  • Dermatologistas

Os psicólogos são responsáveis pela psicoterapia.

Este método, por sua vez, é importante para identificar o que, de fato, faz com que o paciente tenha vontade de arrancar os pelos e fios de cabelo.

Assim, esse processo proporciona que o paciente mude os hábitos.

Para algumas pessoas, o uso de medicamentos é necessário. Nesses casos, o acompanhamento com um profissional psiquiátrico é essencial.

Geralmente, os remédios prescritos para tratar a tricotilomania são usados para transtornos de humor e antidepressivos.

É importante ressaltarmos que a automedicação é perigosa. Então, procure ajuda!

Sabemos que é uma situação em que a vergonha e culpa possam atrapalhar o processo de tratamento para tricotilomania, mas os profissionais estão ao seu lado para ajudar a sua qualidade de vida.

No mais, o tratamento para tricotilomania também envolve dermatologistas.

Esse profissional é o qualificado para cuidar de problemas da pele e do couro cabeludo.

Dependendo do caso, esse tipo de médico pode prescrever medicamentos para recuperar os fios da região afetada.

Um desses remédios é o Minoxidil para barba e para o couro cabeludo.

Minoxidil para barba: para que serve?

A tricotilomania da barba é uma realidade para muitos homens.

Em muitos desses casos, a prescrição do Minoxidil 5% para os pelos do rosto pode contribuir – e muito! – para tratamento para tricotilomania.

Este medicamento é uma solução capilar que age, principalmente, como estimulante.

Assim, a circulação sanguínea é influenciada o que, consequentemente, dilata os vasos sanguíneos da região afetada.

Dessa maneira, os fios se regeneram e crescem mais saudáveis.

Assim como qualquer remédio, o Minoxidil para barba pode causar algumas reações dermatológicas.

Geralmente, estas são: irritação, coceira e dermatite leve do couro cabeludo.

Diante disso, a substância não é recomendada para pessoas com hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

Onde comprar Minoxidil para barba?

Escolher onde vai comprar um medicamento é sempre muito importante.

Isso porque, assim, sabemos que o produto é de boa qualidade.

Então, caso seu médico tenha prescrito o Minoxidil para barba para você, indicamos a compra dessa substância no Bar Men’s.

Além de um ótimo atendimento, você pode adquirir, conforme combinado com o médico, a melhor marca possível para o seu caso.

 

E aí, gostou desse post?

Você já tinha ouvido falar em tricotilomania?

Conhece alguém que sofre com esse problema?

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *